Páginas

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Há amor em mim....pela vida !




Sou fruto da história de amor de Maria e Fernando. Após 7 anos de casamento, vim ao mundo, em 5 de fevereiro de 1976. Fui muito desejada, amada, querida por todos. Primeira filha, primeira neta, primeira sobrinha. Quando tinha cerca de 1 ano, minha mãe adoeceu, seus rins paralisaram, submeteu-se a várias sessões de hemodiálise, foi desenganada pelos médicos. Minha tia doou um de seus rins para ela, porém foi rejeitado pelo organismo de minha mãe. Milagrosamente, dias mais tarde, os rins de Maria voltaram a funcionar e a vida voltou ao seu normal.

Cresci cercada de mimos, cheia de brinquedos, sempre tinha a última boneca da Estrela entre as minhas. Nas minhas apresentações do colégio, as minhas fantasias eram as mais bonitas, as mais criativas, as mais bem feitas, tudo criações de minha mãe. 

Minha infância foi muito feliz. Lembro da presença forte do meu pai, sempre alegre, adorava uma palhaçada. Lembro das brincadeiras antes de dormir, das suas histórias; ele era o vizinho que tinha um cachorrão, o "Sultão" e eu a vizinha delicada, pequena, com seu poodlezinho. Lembro dele cantar para mim "Nesta longa estrada da vida, vou correndo e não posso parar, na certeza de ser campeão, alcançando o primeiro lugar..." Quando a Perla cantava no rádio "Nosso amor nasceu foi pra ficar...E eu vou te amar Fernando", ele dizia que ela tinha feito a música para ele.

Um dia após meu aniversário de 7 anos, perdi meu pai para um linfoma. Me levaram ao velório, dei um beijo nele, não entendi por que estava dormindo num lugar com tantas pessoas, nem por que vinham me abraçar emocionadas. Após uns 4 meses da partida dele, minha mãe se descobriu grávida. Era o milagre da vida.  Minha mãe engravidou mesmo com DIU, a gravidez foi de alto-risco, devido ao seu histórico de saúde, contrariou os médicos e foi adiante. Começava a história de um outro Fernando. Meu irmão. Hoje com 28 anos, lindo, cheio de vida, a cara do meu pai.

Sentia muita falta do meu pai, principalmente quando cheguei na adolescência, mas era como se seu amor me guiasse, como se estivesse sempre olhando por mim. E este amor crescia em mim, a cada dia. Ao contrário do que possa parecer, não sou muito próxima de minha mãe, mulher guerreira de personalidade forte, quero dizer que temos nossas dificuldades de relacionamento. É um amor estranho... Cresci com ela me dizendo que eu já tinha tido muito amor na vida, que agora deveria ser mãe e pai de meu irmão. Não a julgo, era o que podia me oferecer, dentro da maneira como foi criada e da dor da perda do homem amado.

Aos 14 anos conheci meu marido, na época com 17 anos. Era o desabrochar do amor que estava guardado em mim. Mais do que namorado, foi meu amigo. Essencial para que eu fosse quem hoje sou. Me ensinou o amor incondicional. O amor acima de tudo. O amor além dos obstáculos. Que o amor tudo cura.
Foi após um retiro espiritual, "O Resgate da Criança Interior", uma terapia em grupo conduzida por uma psicóloga, hoje grande amiga, que finalmente me libertei da dor e deixei o amor falar mais alto. Amor pela vida, pelos meus objetivos, por mim. 
Quando a Laurinha nasceu, há treze anos atrás, me senti plena, realizada. Emanando amor por todos os poros. Amei aquela pequena desde o primeiro instante, já na sala de parto mesmo colocaram-na no meu peito e ela começou a mamar. E ficou calma quando ouviu a minha voz. Aqueles olhinhos, me procurando. O amor estava ali, senti a presença de Deus, a vida fluindo. 

Voltei para a faculdade quando ela já estava com 2 aninhos, no ano 2000. Para quem tem família e filhos, o esforço é maior ainda. Tinha dias que ligava no automático e simplesmente ia para aula. Minha vontade era estar em casa com os meus, mas sabia o quanto seria importante me formar e buscar oportunidades melhores e persistia, continuava, dava mais um passo. 

Lá pela metade do curso, minha mãe adoeceu gravemente, sua insuficiência renal voltou com tudo e seus rins pararam de vez. Novamente vários tipos de diálise, inclusive peritoneal (o paciente fica com um cateter na barriga e a diálise é feita através do peritôneo, com uma máquina em casa). Certa vez ela pegou uma peritonite muito forte e passou quase 1 mês no hospital. Ná epoca, eu trabalhava no Hospital da PUCRS e estava sempre a seu lado. Os médicos não sabiam mais o que me dizer. Diziam que era muito grave, pois poderia virar uma septicemia, uma infecção generalizada. Eu firme, não acreditava, sabia que ela sairia dessa, como saiu de tantas outras. Não me sentia sozinha, pedia a Maria, mãe de Jesus, que cuidasse de mim, que me fizesse forte, pois eu precisava cuidar da minha mãe. Lembro-me que um calor aquecia minha alma nessas horas. Era o amor falando mais alto, o amor divino. Alguns dias depois, cheguei no quarto e encontrei minha mãe com um papel na mão. Sorrindo, me mostrou os planos que tinha para reformar a casa na praia. Pensei na hora: - Meu Deus, pirou na batatinha, já está delirando. Que nada ! Ela não só saiu dessa, reformou a casa, como também em 2007 conseguiu um doador, e hoje vive bem, como transplantada renal. Um exemplo de amor pela vida.

Em 2008, terminei a faculdade. Na mesma semana que subi os degraus do Salão de Atos da UFRGS, descobri que estava grávida da Luísa, minha pequena Lulu, que ontem (29/09) fez 3 aninhos. Todos os dias ela me ensina que o melhor a fazermos é optar pela vida, por ser feliz. Amo minha querida, de riso tão fácil, volto a ser criança brincando com ela.


Meu amor, meu marido, meu companheiro sempre esteve ao meu lado. Meu porto seguro, meu amigo. Com seu amor, mostrou que tudo é possível, basta querer, basta colocarmos amor em todos nossos atos. 


A mensagem que gostaria de deixar é a de que todos temos nossas histórias, nossos problemas, nossos obstáculos, nossas dificuldades, porém o segredo é como vamos encarar isto tudo, se vamos ser derrotados antes da batalha começar, ou se seremos vencedores desde o início, tendo coragem para ir adiante, com força, determinação e fé. O que não nos derruba, nos fortalece. Tudo é possível, basta acreditar, dar o primeiro passo. Um sorriso e um coração onde existe amor, abrem muitas portas. 


Esta história poderia ser de qualquer um, mas é a minha. E me sinto feliz, por ter sido como foi, pois só assim pude me tornar a Fabi que hoje sou. Não sabia se deveria me abrir tanto, mas quando resolvi falar de amor, tinha que ser transparente, precisava mostrar o verdadeiro sentido do amor, o que significa para mim, e o quanto AMOR e VIDA CAMINHAM JUNTOS.


Há AMOR em mim, em todas as minhas relações, e por todos os seres do planeta ! E quanto mais eu amo, mais o amor cresce em mim, mais eu quero AMAR....

Esta blogagem coletiva sobre o AMOR, foi proposta pela querida Elaine Gasparetto, do blog Um pouco de mim, em comemoração aos 3 anos do seu blog. Parabéns Elaine !

Muitos beijos.



26 comentários:

LILIANE disse...

ai Fabi
passa um cadinho desse amor pra mim.
por pensamento...
hoje tá tão dificil
o toc tã muito acentuado
to triste sabe
uma tristeza tão doída
fui lendo sua historia e chorando
chorando porque esta criança que mora dentro de mim precisa ser curada mas não sabe como.
tem dias que é tão difícil, me sinto impotente, fraca mesmo.
quando você falou de Nossa Senhora, me deu uma vontade de ser amiga dela, de receber carinho desta mae generosa e paciente.

obrigada Fabi... obrigada por contar tua historia e por me permitir chorar um pouco, eu tava precisando.

beijo
um punhado
especialmente na Lulu, linda que fez aniversario, né

Historias de mulher disse...

mt lindo tua declaração de amor, pela vida. amei to blog, voltarei.
Bjs!
Alânia Teixeira.

Cláudia disse...

Eita, eita, eita, junto com esta blogagem devia de vir lenços de papel. Chorei com a tua história, mas um choro bom, choro de vitória. Amei cada frase de seu post.
Faz um favor pra mim? Dá um abraço na tua mãe e diga que fui eu que mandei ? Mulher guerreira. Doença? Que doença? Nada há impediu de continuar sonhado.

E maravilhosos foram os sete anos vividos com seu pai.

Parabéns por tua família.

beijos.

Luciana disse...

OI Fabi! Que maravilhoso conhecer tua história, lutas, alegrias e vitória! Que Deus continue abençoando tua vida e de tua família.
Um lindo fim de semana.
Bjos, Lú.

Carla disse...

Oi Fabi... Parabéns pela linda história de amor e superação, vc nos mostrou que sendo forte e crendo em Deus tudo podemos... Parabéns por ser tão guerreira e por ter dividido essa linda história conosco.
beijos
http://jeitofelizdeser.blogspot.com/

✿ chica disse...

Puxa, que história,heim? Quantas coisas a vida nos coloca... Linda e emocionante tua participação! Um beijo,tudo de bom e nós 2 ,de Poa...chica

JOANA CAMPOS disse...

Nossa amiga, Kd meu folego?

Quando eu era criança eu ouvia essa musica tbém... mas eu gostava mais era de menino da porteira... conhece?

Meu pai morreu eu tinha 9 anos...

Foi lindo ....me emocionei com seu texto.

Ah o bloguito ta sofrendo mudanças, vai la dar pitako...


beijos

Alessandra disse...

Como sempre o Renato Russo resume em poucas palavras os sentimentos.Linda Frase!Linda mensagem!
Parabéns pela participação!
Aproveitei para te seguir.

Bjo Bjo

http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/

Cissa Branco disse...

Fabi,

Menina, vc quase acaba comigo, a música que seu pai cantava para vc meu pai também cantava para mim, me emocionei demais, e sua mãe, que exemplo, imagina se descobrir grávida depois de uma perda tão grande, imagina o sinal que não deve ter sido para ela, me emocionei demais. Linda a sua história, assim como vc, que é fruto de tudo o que vivenciou.
Beijos carregados de amor!

Eunice Maria disse...

Oi, Fabi! Que história linda, menina! Quando você foi lá no blog pra me seguir e postar o comentário, senti que você era uma pessoa (uma amiga) especial. A gente sente mesmo que você tem amor por todos os poros, como você diz, energia boa, contagiante. Não deixe jamais que alguém tire isso de você. Poucas pessoas têm essa generosidade em contar suas histórias tão detalhadamente. Obrigada pela lição de vida, pela sua generosidade! Não saia de perto de nós (amigas/blogueiras), tá? Beijo pra você, sua família e um especial para sua filha Lulu, que aniversariou dia 29. Querida, tenha um lindo fim de semana! Deus te abençoe. Eunice.
http://efacilserfelizartesanais.blogspot.com/

Rose e Elaine disse...

Olá Fabi. Li sua história todinha. Muito emocionante. Você com certeza puxou para sua mãe. Uma mulher forte e batalhadora, que supera todos os obstáculos que a vida coloca no seu caminho. Até os mais difíceis. Parabéns !!
Tenho certeza que suas filhas vão ter esta mesma força.
bjs
Rose

She disse...

Menina que coisa linda de participação, de histórias de superações.... Adorei! ;)
Beijo, beijooooo
She

Ana Jardim disse...

Oi Fabi!
Achei maravilhosa a sua paticipação. Obrigada pela visitinha lá no meu bloguinho, será sempre bem vinda por lá. Parabéns pela escolha que vc fez, Viver, amar e sorrir!!!

Iara disse...

Fabi que linda tua história, forte, emocionante, doce, terna e de muita superação.
parabéns menina, quando amamos a força se sobrepõe as todas as dores e dificuldades.
Abraços

cintia disse...

Oi Fabi, que d+, parabéns pela linda história, mesmo com muitas perdas, faz parte, como ouvi Nesta longa estrada da vida...muito bom,nasci um ano antes de você (1975), vivemos as mesmas delícias da infância, bonecas Tippy, Bate Palminha, as mesmas músicas, que saudades, meu pai foi tudo para mim, espero conseguir deixar marcas tão boas nos meus filhos, como ele me deixou, beijinhos e vou te seguir, até

Geh*** disse...

Miguxa que loucura de historia linda!!! Gostei do que falou, temos que sermos vencedores desde o inicio da batalha. Manda uma big beijo na sua mãe, mulher de Deus, abençoada.
Muita energia boa pra ti!!!!

b-jokas

Paty Chuchu disse...

Ola querida,com lagrimas nos olhos aqui estou te deixando esse recdinho..Que linda sua historia..Uma historia por amor a vida..As vezes diante das dificuldades esquecemos desse amor que existe em nos..Parabens e obrigada por nos fazer lembrar disso!!Gostei muito daqui e claro vou ficando beijocas!!

Ah obrigada pela sua visita la no meu cantinho!!

Saron disse...

Oi Fabi,
nossa é com muito prazer que chego ate aqui e dou de cara, literalmente, com essa historia de vida.Que inclui amor, milagres e termina com um bom conselho.
Bom ouvir, ou melhor, ler sua historia de superação.Que Deus ilumine cada vez mais vcs...
Fabi agradeço muito a visita e es bem vinda ao meu pequeno mundo.Eu vou continuar dando uma olhadinha, conhecendo seu cantinho.Bjos

Artelinear disse...

Que linda história de vida e amor, é gostoso ler seu relato, sabe, o q escrevi em meu site minha paixão pelo trabalho é apenas uma parte de mim, aki em casa estamos passando algumas dificuldades tbm com saúde, mas o trabalho é um refúgio para não enlouquecer... desejo a vc muito sucesso, ahhh...tbm naveguei muito pelo chat do uol...rs e tbm tive um encontro na época ...rs bons tempos, boas rizadas...rs voltarei mais vezes!

Beta disse...

Oi Fabi!
Que história linda a sua!!

Obrigada pela visita e pelas lindas palavras!
Seja bem vinda!
Ah, coloque um feed de e-mail para ficar mais fácil para acompanhar seu blog!!

bj

Marta Andrade disse...

Tem um lenço aí?
Fabi,
bela tradução de amor. Forte, paciente, perseverante e vencedor.
Seu texto ainda se encaixa em:
Ainda que eu falasse a língua dos homes e falasse a língua dos anjos, se amor eu nada seria.
Cut beijos "tchê"

Bel Rech disse...

Onde tem amor, tudo é possível...
Paz e bem

Bia Jubiart disse...

Bom dia Fabi!

Cheguei tarde aqui, mas cheguei...

Hoje é dia das crianças, feriado, madruguei, e estou aqui emocionada com seu depoimento! Admiro e tenho muita afinidade com pessoas guerreiras como vc! Vc tem razão, o amor supera tudo!

Feliz dias das crianças p/ vc e sua linda família! Adorei conhecer um pouco mais de vc...

Um beijãooooooooooooooo

Lia Gloria disse...

Acabei de ler, estou chorando, inevitável amiga. É uma história linda e neste momento foi providencial pra mim, obrigada por partilha-la conosco, bjs

Fernanda disse...

Fiquei emocionada com seu depoimento!! Também tenho uma relação complicada com minha mãe, mais não por falta de amor, amo ela demaissss, somos diferentes em alguns pontos, mais sigo com muito respeito procurando entender os sofrimentos e as dificuldades que ela teve na vida dela, e deixando pra lá algumas coisas que me magoam.Afinal EXISTE MUITO AMOR EM MIM !!!!
Obrigada por dividir com a gente a sua história.

Vanessa disse...

Passando para conferir sua postagem na coletiva da Elaine. Linda história. Abraço